FERTILIDADE MASCULINA

COMO A SAÚDE DO HOMEM INFLUENCIA NA PRÉ CONCEPÇÃO

Engana-se quem pensa que é somente a saúde da mulher que importa para um casal engravidar naturalmente e assim gerar um bebê com saúde. A saúde do homem influencia diretamente na fase da pré-concepção e por isso desempenha um papel fundamental nesse momento.

De fato, se considerarmos que o embrião é formado a partir dos gametas masculino e feminino, é justo acreditar que a saúde do pai e da mãe influencia a qualidade e funcionalidade dos genes que serão transferidos ao bebê. Por isso é tão necessário levar os cuidados do homem na pré-concepção a sério.

Alimentação, exercícios físicos, ingestão de álcool, hidratação, nível de estresse, qualidade do sono, etc, tudo isso influencia na saúde de um indivíduo e a qualidade do esperma do homem também pode sofrer impactos através de seus hábitos e estilo de vida. Sabe-se hoje que o DNA do esperma pode ser danificado de várias maneiras, que incluem exposição ao tabaco, ingestão de álcool em excesso, dieta pobre em nutrientes e até mesmo a radiação. Só isso já explica um pouco como a saúde do homem influencia na pré-concepção. 

Atualmente a infertilidade masculina sozinha é responsável por aproximadamente 1/3 de todos os casos de infertilidade, e a maior parte das causas de infertilidade estão ligadas à alterações na qualidade dos espermatozóides. Como aumentar a fertilidade masculina então?

A boa notícia é que muitas das alterações da fertilidade masculina podem ser solucionadas com mudanças de hábitos alimentares e estilo de vida. O que você come faz a diferença. Durante o aconselhamento na pré-concepção, é comum ver a pouca atenção dada na parte de nutrição, especialmente para os homens.

No entanto, um padrão alimentar não saudável, que não oferece a quantidade adequada de nutrientes para o homem, pode impactar diretamente no momento da pré-concepção. A orientação nutricional precisa receber a devida atenção dos casais que planejam uma gravidez.

No caso dos papais essa orientação pode ajudá-los a ter um sêmen de qualidade.

Melhorar a saúde dos espermatozóides é essencial!

Os espermatozóides ganham muitas qualidades graças ao equilíbrio nutricional proporcionado pelas vitaminas, minerais e ácidos graxos, pois esses nutrientes desempenham um papel muito importante na saúde reprodutiva. Pesquisas sugerem que a vitamina D pode ser importante para ajudar o esperma a se mover bem (motilidade), e também ajuda a aumentar o cálcio intracelular.

O zinco e o folato têm propriedades antioxidantes que neutralizam as espécies reativas de oxigênio e protegem os espermatozóides contra o estresse oxidativo e os danos ao DNA.

As células espermáticas requerem ácidos graxos (ômega-3), para fornecer a fluidez ideal da membrana celular essencial à motilidade espermática e ao sucesso da fertilização. O óleo de peixe (ômega-3), inclusive está associado a um maior volume de sêmen e melhor contagem total de espermatozóides. Estes são alguns exemplos de nutrientes chave que melhoram a saúde dos espermatozóides.

No entanto, sabe-se o quão difícil é receber o aporte adequado de todos os nutrientes necessários para a preservação e manutenção da saúde somente através dos alimentos. A vida é corrida, o tempo é escasso e ter acesso a alimentos de qualidade todos os dias é um desafio. Para suprir essa insuficiência, existem suplementos desenvolvidos especialmente para melhorar a qualidade do sêmen com vitaminas, minerais e outros ingredientes projetados para ajudar a melhorar a saúde reprodutiva geral do homem. Suplementar os nutrientes necessários, na quantidade correta pode ser uma opção eficaz, segura e mais prática para alguns homens.

Cuidar da saúde e estado nutricional dos homens na pré-concepção é fundamental! Este cuidado propicia melhores resultados na gravidez, e aprimora as contribuições biológicas e genéticas do homem para concepção do bebê.

Referências:
https://www.fertstert.org/article/S0015-0282(17)30222-4/fulltext
https://academic.oup.com/humrep/article/26/6/1307/2913983
https://www.ajog.org/article/S0002-9378(08)02037-1/abstract
https://academic.oup.com/humrep/article/24/6/1304/2915606
https://jamanetwork.com/journals/jamanetworkopen/fullarticle/2758861